PROVEDORES REGIONAIS LIDERAM RANKING DE SATISFAÇÃO
27 de março de 2019
FORTALEZA, A PRAIA DO FUTURO E DA TECNOLOGIA
3 de abril de 2019

PROVEDORES DE INTERNET DISCUTEM A CONSTRUÇÃO DE UM PTT PRIVADO EM FORTALEZA

Os pequenos provedores de Internet do Ceará querem construir um PTT privado em Fortaleza com o objetivo de facilitar o acesso aos PIXs existentes e aos cabos submarinos que chegam na Praia do Futuro (links internacionais). Segundo Paulo Fernandes, diretor-presidente da AproveBrasil – Associação Nacional de Provedores de Internet, entidade que está liderando a iniciativa, uma comissão de estudos foi criada para analisar a viabilidade técnico-econômica, localização e rota da fibra.

“O objetivo é ter um POP central, onde os provedores podem chegar e de lá acessar os PTTs, reduzindo custos”, diz. Além ter uma única ASN, o projeto poderá agregar grande volume de tráfego. “Com isso, será mais fácil conseguir CDNs e negociar links”, afirma. A entidade espera reunir pelo menos 20 provedores para fazerem parte do projeto. A AproveBrasil estará no Congresso RTI de Provedores de Internet em Fortaleza, nos dias 10 e 11 de abril.

MERCADO GLOBAL DE BANDA LARGA VAI ATINGIR 1,2 BILHÃO DE ASSINANTES ATÉ 2025

Um relatório divulgado no início de março pelo Broadband Forum e Point Topic prevê que haverá 1,2 bilhão de assinantes de banda larga fixa no mundo até 2025 (a marca de 1 bilhão foi atingida em outubro de 2018). Desse total, 89% virão dos atuais 30 principais mercados de banda larga, com economias em desenvolvimento, incluindo o Brasil. A fibra óptica é o grande destaque. Algumas variantes da tecnologia, como FTTH – Fiber-To-The-Home, Fiber-To-The-Premises (FTTP) ou Fiber-To-The-Building (FTTB), serão usadas por 59% dos assinantes. No período analisado, as conexões baseadas em fibra (FTTH/P/B) devem crescer 51% e as FTTC/VDSL 28%. Já as conexões baseadas em ADSL devem cair 39%.

Um outro estudo, divulgado pela Future Markets Insights, estimou em 2017 o valor global do mercado de FTTH em US$ 9,5 bilhões e chegará a mais de US$ 37 bilhões no final de 2027. Também destaque na pesquisa é o segmento de TV pela Internet, cujo valor vai passar de US$ 1,9 bilhão para mais de US$ 7 bilhões no período.